terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Capitulo 6-"Eu só quero a minha mãe!"




(Rúben)

David-Sim mano,mas porque cê falou isto?

Rúben-Porque a miúda é uma mimada , sempre que me vê olha cá de uma maneira que só mostra que me quer é bem longe.

David-Ela foi muito queridinha ontem,brincou com o meu cabelo e até veio para o meu colo.

Rúben-Fogo então aquela miúda só a mim é que faz aquelas cenas.

David-Ela não pareceu se uma menina mimada.

Rúben-Pois mas quando a vejo ela só olha para mim de uma maneira que se o olhar matasse…

Nuno-As duas amélias vão se equipar ou preferem ficar a conversar?-o Nuno vinha atrás de nós mas por termo parado algum tempo ele acabou por passar à nossa frente.

(Rita)

O trabalho corria no seu ritmo normal,sendo que eu ainda estava acompanhada pelos os lenços.
Perto das 10 horas recebi um telefonema.Era a Sónia feita mãezinha para saber se eu estava bem.
Rita
Rita-Sónia já te disse que estou bem,aliás estou muito melhor do que ontem.

Sónia-Tomaste o comprimido ?

Rita-Sim tomei, a sério que estou melhor.

Sónia-Só estou preocupada contigo,não gosto de te ver toda cheia de babas.

Rita-Olha obrigadinha!-ela riu.-Como estão os miúdos?

Sónia-Estão bem,ontem  o Roberto trouxe uns bolos e eles agora estão na deliciar-se com eles.

Rita-Tu vê lá que não quero que eles comam bolos a toda a hora.

Sónia-Sim senhora,não lhes dou mais nenhum bolo.E tu toma juízo!Se precisares de vir para casa pede ai a uma das meninas que faça o teu lugar e os miúdos até podem ficar comigo assim podes descansar.

Rita-Obrigada mas não vai ser preciso.Adeuzinho.

Sónia-Txau.-desliguei a chamada e arrumei-o dentro da minha mala.

Continuei com o trabalho até a Joana vir até perto da minha secretária.Ficamos a conversas algum tempo ,o que sempre dava outro “ambiente” enquanto eu trabalhava.
Vi o David passar e acenei-lhe,pois pensei que ele iria continuar no seu caminho mas aquela preocupação de ontem não tinha desaparecido.

Rita-Ai à pouco a Sónia e agora tu,David eu estou bem.

David-Cê não devia vir trabalhar,assim me deixa preocupado.

Rita-Mas não precisas ficar preocupado,estou muito bem.A sério.

David-Tá bem.-sorriu.-Vou andando mas se precisar de alguma coisa me diga…Me dá o seu telemóvel?

Rita-Acho que sim.-sorri-lhe enquanto tirava o telemóvel da mala e lhe entregava. Pelo que percebi ele 
marcou o seu numero e depois voltou a dar-me o telemóvel.Ele acabou por ir embora e algum tempo depois ainda continuavam a sair jogadores entre eles o Rúben.Ele acenou com um sorriso e depois saiu.

Depois do meu almoço telefonei à minha mãe.Ela não parecia estar muito bem..Achei que tivesse se passado alguma coisa com a minha tia e perguntei-lhe sobre isto mas ela disse que o meu pai tinha saído e como ainda não tinha chegado não tinha novidades.
Aquilo ficou na minha cabeça e não consegui pensar em outra coisa senão na minha tia.Já se aproximava a hora de ir embora e cada vez ia acumulando aquele nervinho miudinho para poder ir ver a minha tia.

Rúben-Tudo bem?

Rita-Credo!!-falei logo depois de ouvir a sua voz,levando a minha mão esquerda até ao eu peito.Olhei-o e ele controlava o seu riso olhando-me como se fosse alguma maluca.-Desculpa.

Rúben-Não eu é que peço desculpa.-sorriu.-Não te queria assustar.

Rita-Desculpa mas é que estou um pouco nervosa.

Rúben-Mas está tudo bem com os miúdos?

Rita-Sim eles estão bem,é a minha tia..

Rúben-O que tem?-ia falar mas o toque do meu telemóvel impediu-me.

Rita-Já te digo.-peguei no telemóvel.-Sim?

Mãe-Rita..-ouvi a sua voz meia rouca,e depois de dizer o meu nome soluçou.

Rita-Mãe o que se passa?-reconheci logo que estava a chorar, e como já desconfiava do que vinha dali assim que terminei de falar senti as lágrimas a surgirem,aquela sensação que em milésimos de segundos os nossos olhos se tornam um pouco mais “pesados”.

Mãe-O teu pai telefonou à pouco.-ouvi o seu respirar que ia “interrompendo” as suas próprias frases.-A tua tia ainda foi para o hospital.-eu já estava feita em lágrimas e apesar de ouvir a voz do Rúben que ia falando num tom mais baixo,virei-me de costas para ele, já que para além das alergias agora com estas lágrimas todas à mistura ,precisava mesmo é de estar sozinha!A minha mãe ,entre soluços,falou o que eu não queria ouvir mas o que esperava…

Rúben-Está tudo bem Rita?-ele falou assim que desliguei aquele infeliz chamada ,estando eu ainda de costas.-Rita.-colocou a sua mão sobre o meu ombro .

Rita-Desculpa Rúben.-respirei fundo para poder terminar aquela frase.-Mas vou ter de ir embora.-olhei-o limpando as lágrimas que alagavam o meu rosto,ainda fui buscar um lenço mas por ter recebido aquele noticia à tão pouco tempo elas teimavam eu cair sem que eu tivesse controlo sobre  elas.

Rúben-O que se passa?É com a tua tia?-acabei por perder o controlo sobre as minhas emoções.Ele aproximou-se e falou.-Tem calma,vai ficar tudo bem?-senti a sua mão um pouco abaixo dos meus ombros subindo e descendo.Disse-lhe o que tinha acabado de acontecer entre soluções e tentativas de limpar aquelas lágrimas ficando ele olhando-me sem saber que dizer.-Os meus sentimentos…-acabou por falar alguns minutos depois.Agradeci-lhe e depois levantei a cabeça.

Rita-Tenho de ligar à Sónia.-assim que falei nisto foi lembrei-me de algo que foi como um balde de água fria…E acabei mesmo por levar a mão à cabeça.-Oh pá..

Rúben-O que foi?

Rita-É que tenho de ir ao funeral.-respirei fundo olhei-o.-E como a Sónia  e o Roberto são como família também devem ir..Ou seja os miúdos não podem ficar sozinhos,não vou poder ir ao funeral..-acabei por me desmanchar outra vez em lágrimas e desta vez o Rúben ,meio a medo ,abraçou-me.Conhecia-o à pouco tempo e mesmo já o considerando como amigo não gostava que ninguém me visse neste estado,mas depois do que tinha  acontecido não consegui levantar a minha cabeça e deixai-a pousada no seu ombro.Durante os minutos que estivemos sem falar pois os meus soluços e o meu respirar lá iam quebrando o silêncio,pode “expressar” aquela tristeza que tinha tomado conta de mim em milésimos de segundo.-Tenho de ir embora,assim sempre posso me ver a minha tia uma ultima vez.

Rúben-Espera..Eu posso ficar com os miúdos.-até agora não tinha consigo controlar as minhas lágrimas mas ouvir ele dizer isto acabei por o fazer.

Rita-Não não é preciso.-peguei na minha mala fazendo ela “cair” pelo o meu braço .-Eu fico com eles…

Rúben-Não,não.Tu queres ir ao funeral da tua tia,e apesar de estares desta forma não deves querer faltar  eu fico com eles é na boa.

Rita-Rúben a sério não é preciso.-sabia que provavelmente os miúdos não iam gostar da ideia de ficarem com o Rúben,especialmente a Carolina.

Rúben-Podes confiar em mim a sério.-olhei-o e quando o fiz acabei por deixar cair mais algumas lágrimas levando ele outra vez a abraçar-me mas desta por pouco tempo.-Eles estão agora em casa da tua amiga?É Sónia não é?

Rita-É sim.

Rúben-Então vamos no meu carro.

Rita-Mas eu trouxe o meu.

Rúben-Achas que vais conduzir neste estado?!É que nem pensar.

Nem dei luta e fui até ao seu carro.Chegámos à casa da Sónia e os miúdos ao verem o Rúben perguntaram o que ele estava ali a fazer.Disse-lhes que iam para a sua casa algum tempo porque a mãe tinha de ir a um lugar sozinha.O Simão ficou todo contente,já a Carolina começou logo a choramingar para ficar comigo,mas da maneira que eu estava não lhes ia contar agora o que tinha acontecido.Iria esperar e nos próximos dias ,lá em casa ,já depois de este assunto “assentar”   iria lhes dizer o que realmente tinha acontecido.Contei à Sónia o que tinha acontecido e como esperava ela falou que também iria ao funeral e foi até ao quarto mudar de roupa para irmos.
Simão

Carolina


Rita-Tens a certeza que não te importas?

Rúben-Sim eles ficam bem.

Rita-Podes só me dar  teu número para poder telefonar-te para saber como eles estão?

Rúben-Claro.-marquei no meu telemóvel o seu número e mesmo em frente ao Rúben a Carolina veio perguntar para onde eu ia,e se não podia mesmo ir com ela.

Dei um beijinho a eles os dois já dentro do carro do Rúben e depois fui ter com a Sónia para irmos até ao hospital.

(Rúben)

Simão-Vamos fazer o quê Rúben?

Rúben-Não sei o que queres fazer?-olhei para o vidro e vi o cenário habitual…o Simão a sorrir-me e com grande entusiasmo enquanto a Carolina olhava para o vidro agarrada ao peluche e ainda tinha os olhos vermelhos por ter ficado a chorar quando a mãe lhe disse que ia para a minha casa.

Simão-Podemos comer pizza?

Rúben-Claro que sim,e tu Carolina gostas de pizza?-tirei os olhos da estrada olhando para ela esperando a sua resposta.Ela olhou-me e falou.

Carolina-Eu só quero a minha mãe!

Rúben-A tua mãe daqui a pouco vem vos buscar,não precisar ficar assim.

Carolina-Mas eu quero ir ter com ela.

O Simão pôs-se a falar com ela,já que a mim ela só falava que queria a mãe.
Chegámos à minha casa e abri a porta,entrando logo o Simão tendo a Carolina me olhado algumas vezes antes de entrar e quando o fez (com um passo lento) voltou outra vez a olhar-me.

Carolina-A tua namorada?-o Simão tinha se sentado no sofá ,como se já se tivesse “instalado” já ela ficou parada na entrada na sala.

Rúben-Ela não está,foi viajar.

Carolina-Vamos ficar sozinhos contigo?-abaixei-me perto dela.

Rúben-Carolina eu só vos trouxe cá para casa porque a vossa mãe precisa de ir a um lugar sozinha e como a Sónia não podia tomar conta de vocês não iam ficar sozinhos e por isto ficam aqui algum tempo comigo.Está bem?

Carolina-Mas eu não gosto de ti.-assim que falou virou costas e foi se sentar ao lado do Simão.

Simão-Rúben posso jogar?

Rúben-Claro que podes puto.-liguei a Playstation e depois dei-lhe o comando,perguntei à Carolina se ela queria dormir, mas ela respondeu que não.Deixei o outro comando em cima da mesa caso ela mudasse de ideias.

Fui até à sala de jantar,olhando sempre para os miúdos encomendando a pizza.Depois de o fazer recebi uma chamada da Laura,disse-lhe o que tinha acontecido e ainda que os miúdos estavam cá em casa.

A pizza chegou e quando passei pela sala já com a caixa nas minhas mãos já eles os dois estavam a jogar.Coloquei três pratos na mesa e quando já tinha tudo pronto fui os chamar.
O Simão foi o primeiro a entrar na cozinha,vindo depois a Carolina que durante todo o jantar esteve calada e com a sua boneca na mão.

Depois do jantar eles foram os dois para a sala.Acabei por me juntar a eles mais tarde.

Carolina-Falta muito para a minha mãe chegar?-olhei-a.

Rúben-Ela daqui a pouco deve estar a chegar.-falei e ela começou encolheu-se e começou a chorar.Coloquei a minha mão sobre o seu ombro e disse-lhe que dali a pouco a sua mãe deveria chegar mas mesmo assim ela continuou a chorar.O Simão até deixou o jogo e veio para perto da irmã para poder me dar ali um jeitinho para ver se ela parava de chorar, mas a miúda não queria mesmo estar lá em casa ,e a única coisa que queria era a sua mãe.

Voltei a falar com a Carolina mas ela apesar de já chorar menos,resultado da conversa com o Simão,continuava sem me querer  olhar.

Rúben-Queres falar com a tua mãe?-depois  de tantas tentativas para ela me olhar quando falei da Rita ela finalmente me olhou.

Carolina-Quero.-levantou-se e aproximou-se um pouco de mim.Peguei no meu telemóvel e telefonei à Rita.Ela logo perguntou se estava tudo bem com os miúdos,disse-lhe que sim  e depois passei o telemóvel à Carolina.

(Rita)

Cheguei ao hospital com a Sónia e o Roberto e lá ficamos algumas horas.Na campainha da minha família fui até à casa funerária onde passados algumas horas apenas o toque do meu telemóvel me fez “despertar” daquele ambiente.

Rita-Sim?

Rúben-Rita.

Rita-Oh Rúben,está tudo bem com os miúdos?-pensei que esta chamada seria por ele estar a entrar em stress com os miúdos e eu teria de ir a correr até lá a casa.

Rúben-Não eles estão bem..Aliás a Carolina é que quer falar contigo,achas que podes?

Rita-Claro que sim passa-lhe se faz favor.-ouvi ele passar-lhe o telemóvel à Carolina-Olá meu amor.

Carolina-Mãe!Quando a mãe vem buscar a gente?

Rita-Oh filha a mãe daqui a pouco vai está bem?

Carolina-Vai demorar muito?

Rita-Não princesa vai ser rápido.

Carolina-A mãe promete?

Rita-Eu prometo mas tu também tens de te portares bem,não podes estar a fazer birras em casa do Rúben.

Carolina-Eu não gosto de estar aqui,quero ir ter com a mãe.-ouvi ela começar a chorar.

Rita-A mãe daqui a pouco já vai está bem,mas tens de prometer que não choras.Está bem?

Carolina-Mas a mãe tem de vir rápido!

Rita-Sim a mãe já vai para ai,beijinhos.

Carolina-Beijinhos.

(Rúben)

Ouvia despedir-se da Rita e depois esticou o telemóvel na minha direcção.

Carolina-Toma.-peguei no telemóvel e arrumei-o dentro do meu bolso.

Simão-O que a mãe disse?

Carolina-Ela vem buscar a gente daqui a bocadinho.-o Simão voltou a olhar para a televisão e a concentrar-se no jogo.-Posso beber mais sumo?-perguntou-me meio a medo.

Rúben-Sim podes.

Fui buscar um copo de sumo e quando voltei para a sala dei-lhe.Depois de o beber ela volto a começar a choramingar pela mãe e a verdade era que já não sabia que fazer.Pedi ao Simão para ficar com ela algum tempo enquanto me levantei e telefonei para quem achei que podia “salvar” das birras da Carolina.
Voltei para a sala e a Carolina estava agarrada à tal boneca com o Simão ao seu lado que ia falando com ela como a consolando.

Ela lá foi contendendo aos poucos o chora mas quando a campainha tocou levantei-me e fui abrir a porta.

Quem será que vem “salvar” o Rúben dos miúdos?

Olá! :)
Espero que tenham gostado do capitulo mas para o saber é mesmo só deixarem as vossas opiniões,porque contam IMENSO :D
Já agora gostava de ver quem acham que vem socorrer o Rúben lool
Beijinhos e Obrigada! 
Rita

15 comentários:

  1. Amei <3
    Mais por favor...
    Continua...
    Beijinhos :*

    ResponderEliminar
  2. Gostei muito, continua!!
    Eu acho que deve ser o david ahah
    beijinhos
    ps: fico á espera do proximo

    ResponderEliminar
  3. Esta fantastico quero o proximo.bjs

    ResponderEliminar
  4. adorei ca para mim a salvaçao e o david

    ResponderEliminar
  5. Adorei!!!
    Acho que essa ajudinha é o David .... :p
    Continua rapido.

    ResponderEliminar
  6. só falta publicares o próximo :b
    ah , e a ajudinha não será o David ? xd
    beijinhos , Débora *

    ResponderEliminar
  7. Bem a miuda é mesmo torta loool mas aposto que se a ajuda for o DL que ela vai delirar LOOL

    Quero o próximo

    Beijocas

    Mari

    ResponderEliminar
  8. Gostei :p
    Mas coitada da Rita (e da família) :(
    Ainda não percebi porquê que a Carolina não gosta do Ruben :o
    E acho que a ajuda vai ser o DAVID LUIZ xD

    Quero o próximo
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. ADOREIIIII
    Mas preciso desesperadamente do próximo, preciso de confirmar as minhas suspeitas e as de todas se vai ser o David a ir acalmar a Carolina.
    Beijinhos.

    Ana Patrícia.

    ResponderEliminar
  10. Posta rápido, please!!
    adorei

    ResponderEliminar
  11. ADOREEEIIII
    Quero o proximo rapidinho :)
    Tenho um presentimento que sera o David que vem 'salvar' o Ruben.

    ResponderEliminar
  12. fantastico...

    quero mais... tou super curiosa para ver o proximo...

    continua...

    ResponderEliminar
  13. Um novo capitulo agora é que vinha a calhar mesmo bem.
    estou muito curiosa.
    adoro a tua fic.

    ResponderEliminar
  14. Ja tenho saudades de um novo capitulo, quando pensas em publicar mais??
    adoro a tua fic.

    ResponderEliminar
  15. Estou a adorar!
    Mal posso esperar por ler mais :)
    Quando podes postar os próximos capítulos?
    Beijinhos!

    ResponderEliminar